Carta de recomendação – O que é, para que serve e muito mais

Carta de recomendação: O que é, para que serve, como fazer e pedir

Se você vai iniciar um curso ou está procurando um novo emprego, é interessante saber que a carta de recomendação pode contribuir para que você consiga aquilo que deseja com muito mais facilidade.


Afinal de contas, este documento é muito utilizado como uma estratégia para sair à frente da concorrência, pois funciona como uma referência e as empresas e instituições de ensino tendem a dar preferência para quem tem boas indicações.

E se você pretende disputar uma vaga de algum Summer Job, essa carta pode fazer total diferença.

Então, hoje você vai aprender do que se trata essa carta, para que ela serve e muito mais. Confira abaixo!

O que é e para que serve a carta de recomendação?

Essa carta é um documento que busca atestar a qualificação profissional ou acadêmica de um estudante. Portanto, funciona como uma recomendação de que aquela pessoa tem os atributos necessários para a vaga desejada.

Inclusive, essa é exatamente a finalidade e serventia deste documento: indicar que alguém tem o perfil exato buscado por uma empresa ou instituição de ensino.

Para tal, na carta deve estar listado todos os talentos, habilidades pessoais, profissionais ou acadêmicas, bem como as demais qualidades do candidato. 

Então, a partir da leitura dela os recrutadores conseguem ter uma ideia mais abrangente sobre aquele candidato, conferindo assim se ele se encaixa no que é desejado.

Geralmente, a carta de recomendação é solicitada para o preenchimento de vagas de emprego ou até mesmo para intercâmbios. As agências de intercâmbio podem solicitar para alguma oportunidade específica.

Ainda que as situações sejam diferentes entre si, o objetivo é o mesmo: conhecer mais sobre o perfil do candidato baseado nas suas vivências anteriores.

Qual é a importância desse documento?

Para compreender a importância da carta, você pode se imaginar no lugar do recrutador. Sem sombra de dúvidas você se sentiria mais seguro em contratar ou oferecer uma vaga para alguém com referências, não é mesmo?

Isso porque, ter as qualificações comprovadas traz mais segurança e certeza de que você é o candidato certo para a vaga que está em aberto, seja de um emprego ou bolsa de estudo.

É claro que este documento não é do tipo obrigatório, muitas empresas e instituições de ensino não solicitam essa carta para os candidatos.

No entanto, como dito no início, consegui-la é uma excelente maneira de você sair a frente da concorrência, principalmente quando se fala em vagas extremamente concorridas.

Um caso interessante são de pessoas que passam no Jovens Embaixadores, imagine o tipo de carta de recomendação. Por isso vale a pena participar de programas sociais, pois além da experiência vivida, você terá recomendações. 

Carta de apresentação X Carta de Recomendação

É fundamental que você entenda que a carta de apresentação não é a mesma coisa da carta de recomendação, pois muitos candidatos acabam confundindo os nomes.

Em suma, a carta de apresentação é um documento que o próprio candidato faz, onde ele apresenta o seu perfil, as habilidades e conhecimentos que possui.

Por sua vez, a de recomendação é feita por outra pessoa, geralmente um superior, onde ele menciona as suas competências profissionais ou acadêmicas. Podendo até facilitar uma oportunidade de bolsa de estudos em Portugal ou em outros países.

Para quem pedir a recomendação?

O ideal é que a carta de recomendação seja solicitada para alguém que teve contato com você e que exercia um cargo superior ou estava em uma posição maior do que a sua, seja o seu antigo supervisor, chefe, professora ou coordenador de um curso que você fez, por exemplo.

Dessa maneira, no documento deve constar as funções que foram exercidas, o período em que elas foram executadas e os seus pontos fracos. 

Além disso, na carta é interessante constar também as contribuições que foram dadas por você e que são as mais importantes.

Ao final, o documento deve ser assinado a próprio punho por quem fez a carta, com o cargo que ocupa e as informações de contato. Isso garante uma maior autenticidade para o documento.

Portanto, a nossa dica é que você escolha alguém com que você tenha tido uma boa relação, visto que essa é a melhor pessoa para atestar todas as suas competências e habilidades.

Ah, outro ponto importante é que essa pessoa deve ter convivido com você, seja em um projeto acadêmico ou na vida profissional. Logo, nada de solicitar uma carta de recomendação para um amigo de infância, por exemplo.

O que deve ter na carta de recomendação?

Mesmo que este documento seja algo mais subjetivo, existem algumas informações que são cruciais de serem apresentadas nessa carta, dentre elas estão:

  • Data e o local onde foi feita a emissão dela;
  • O cargo que o candidato exerceu;
  • As competências e habilidades do candidato;
  • Tempo de permanência na área profissional ou no projeto acadêmico, por exemplo;
  • Relação de entre o indicado e de quem está fazendo a carta;
  • Período em que atuaram em conjunto;
  • Nome completo, cargo e contato de quem redigiu a carta.

Como fazer o envio dessa carta?

Como já mencionamos, essa carta não tem um caráter obrigatório e não faz o menor sentido você enviá-la sempre que for se candidatar a uma vaga de emprego ou bolsa de estudo.

O envio dela deve ser feito apenas se for necessário, o que ocorre geralmente quando a instituição de ensino ou empresa recrutadora solicita o documento ao candidato.

Neste caso, é dado todas as orientações de como essa carta deve ser enviada, bem como o prazo que você tem para encaminhá-la. Geralmente, o processo todo é realizado por e-mail.

Contudo, em muitas situações, a carta de recomendação pode ser solicitada no dia da entrevista ou nas etapas seguintes de uma seleção, por exemplo.

Dicas importantes!

Independente de quem foi o escolhido para escrever a sua carta, é fundamental que todas as informações sejam verdadeiras e os elogios devem ser feitos sem exageros.

Isso porque, o excesso de qualidades ou de parecer perfeito demais para uma vaga pode acabar tendo o efeito contrário, gerando no recrutador a sensação de que houve um combinado ali.

Além desse ponto, outra dica essencial quando se fala em carta de recomendação é que você nunca deve pagar por este documento e muito menos falsificar um.

Essa prática não é nada ética e pode acabar gerando prejuízos a sua imagem como estudante ou profissional.

Conclusão

Viu o que é e para que serve uma carta de recomendação?

Ela precisa ser feita com atenção e por alguém que seja de confiança. Afinal, é um atestado das suas habilidades e competências.

E em caso de estudo ou trabalho no exterior, ou até uma vaga de intercâmbio gratuito, vale a pena fazer a Apostila de Haia para facilitar e acelerar toda documentação.